Imagem

Meio Século de Solidão 

Quando fui chamada pela Shirley Yanez e pela Editora Record para participar de Meio Século de Solidão (uma série de eventos no @gabo_cafe) para fazer uma leitura dramatizada, não imaginava o quanto seria prazeroso me aproximar um pouco mais desse escritor inigualável. 


Já havia lido Cem Anos de Solidão e outros livros do Gabo mas ao estudá-lo mais a fundo entendi que realidade e ficção estão tão próximas que se alimentam mutuamente. Se misturam tanto que quase não podemos destingui-las. 

Gabriel Garcia Marquez diria que a ficção é a realidade transformada pela imaginação. E que fantasia não existe. Inclusive ele fala em um de seus livros (Cheiro de Goiaba) que criança não gosta de fantasia, criança gosta de imaginação. E que a imaginação é tirada da realidade. Claro que ele diria de maneira mil vezes mais genial do que a minha, afinal, é o Gabo, e eu sou eu, mas o próprio Gabo, com sua literatura de um realismo imaginativo (para não dizer realismo fantástico, porque de fantástico não tem nada) propõe uma realidade que reconhecemos em nossas entranhas de America Latina, ela está tão próxima de nós, que faz com que pensemos que a realidade ordinária, mesmo que seja minha, seja sua ou seja de qualquer um, possa ser pensada como extraordinária se colocada nesse lugar da imaginação. 

Como me debrucei sobre Cem Anos, aprendi como o tempo é necessário para se fazer uma obra e a obra de um artista é composta de sua solidão.

Pelos últimos acontecimentos em minha vida, pude perceber que podemos sim tornar muita coisa real, e que se podemos fazer isso, não seríamos todos criadores, a medida que criamos a realidade, como fazia a avó do nosso Gabito, que conversava com os mortos e os tornava elementos vivos em sua própria vida.

http://www.record.com.br

Imagem

A noiva mais feliz do mundo.

Meu casamento foi pleno e perfeito, porque foi a nossa cara. É muito emocionante celebrar uma relação de dezoito anos porque a gente já construiu uma história juntos e ver nossos filhos e amigos reunidos foi lindo. Fui a noiva mais feliz do mundo! E nada disso teria sido possível se não fossem os profissionais maravilhosos que eu escolhi para realizar o meu sonho. São eles!

Vestido Carol Nasser @carolnasseratelier

Beauty Nat Rosa @natrosamakeup

Produção Shirley Yanez @shirleyyanezb

Decoração @wedoyanez

Assessoria de Imprensa Sayonara Sarti  @sayonarasarti @novaassessoriaerp

Fotos Carla Alves @carlaalvesfotografia

Joias Vanessa Clark @vanessaclarkjoias

Arranjo de cabeça Barbarah Heliodora @chapelariabarbarah

Unhas @glowdrybar

Stylist da Cora e Tom Karen Brusttolin @karenbrusttolin

Flores (lavandas, saudade e suculentas) @wedobotanica

Papelaria e caligrafia moderna dos convites Jorge Yanez @jyanezdesign

Bem-casados e bala de côco @confeitariamarionbrasil

Doces fitness @dilemasdalala

Massagem na noiva @pesnasnuvens com produção de @allana_villela

Dia da Noiva e Lua de Mel @sofitelipanema

Vinhos veganos @medusaurbana / @vinhos_canivezi

Espumante @winevinhos

Bolo e macarons @rafaelapanisset

Buffet vegetariano @bloisebuffet

20171108223918937

DJ Lucas Alves @outknives

E a festa continua na vida, com amor…

Carolina Kasting
#casamentocarolkasting #miniwedding #casamentoperfeito

Optar pelo Simples Exige Coragem

O excesso camufla a verdadeira essência. Se você tiver coragem e optar pelo simples significa que você tem algo muito importante para mostrar, a sua personalidade. Sim, poderia estar falando de qualquer coisa mas estou falando de casamento. Eliminar o excesso é um ato de coragem. Fique somente com o que é essencial. Opte por aquilo que tem a ver com você. Isto não impede que você procure as tendências e a partir delas opte pelo que tem a sua cara. 
Não aceite nenhuma imposição. Não existe mais esse papo de que “tem que ter isso” ou “tem que ter aquilo”. Pensando em você e nos seus convidados, garanto que não esquecerá de nada. 
E já que estou falamos de tendências para casamentos (wedding trends)…

Escolha uma única flor de sua preferência que determinará a cor predominante, e abuse das folhagens, sem limites, as suculentas são muito bem vindas e fofas. As cores secundárias podem ter tonalidades pastéis para deixar que a cor principal predomine nos detalhes (wedding trends 2018)

Acredite na simplicidade, ela é elegante. Mostre que você é uma noiva que sabe o que quer, segue tendências mas não diz amém para modismos. 

Coragem e diga: sim para o que você gosta!

Preparativos a mil!!!!!

Os preparativos para o casamento estão a mil por hora. 

Já estamos na quinta prova do vestido de noiva Carol Nasser @carolnasseratelier

https://www.instagram.com/carolnasseratelier/?hl=en

Os convite chegaram, estão prontos para serem entregues. Como serão poucos convidados serão entregues em mãos. E são convites personalizados! 

Pensados por mim e pela Shirley Yáñez @shirleyyanezb
 
e executado com maestria pelo Jorge Yáñez caligrafia e design @jyanezdesign

Vou atualizando por aqui. Estou tão feliz! Celebrar o amor é sempre uma imensidão de luz. 

E por falar em amor, fecho com uma frase do Neruda

Amo-te como se amam certas coisas obscuras, secretamente, entre a sombra e a alma.

Pablo Neruda

Dar é muito melhor do que receber.


Aos poucos vou arrumando minhas coisas no apartamento novo. As últimas caixas vão sendo esvaziadas. Passei três meses com metade das minhas coisas encaixotadas em um depósito, por causa da obra e me prometi que quando abrisse as caixas, as receberia como se fossem novas. E assim eu fiz. 

Sempre ouvi meu marido falar que as coisas que possuímos têm um fio transparente que as ligam à nós, e que quanto mais coisas você tem mais atado a fios você está, como uma prisão. Não chego a ser uma adepta do minimalismo, mas sou fã e procuro me livrar dos excessos, em todos os sentidos, no consumo, alimentação e ostentação. Tenho consciência que a liberdade está relacionada com a quantidade de coisa que uma pessoa possui. 

Na prática é um pouco mais difícil de realizar. A vida moderna, a sensação de preenchimento que o consumo dá, os presentes que ganho. Me esforço para cumprir, até porque é uma questão de ecologia e sustentabilidade. Por isso prometi a mim mesma que de tempos em tempos doaria tudo que não uso, estabelecendo um prazo. Mais de um ano sem uso? Já para a doação. E doo. Doo sem perdão. As pessoas lá em casa até brincam comigo, onde está aquela camiseta? A Carol doou ( risos ).

E assim vou tentando cumprir de forma imperfeita minha missão como cidadã. Como fazem os japoneses, vou varrendo a minha parte da calçada.

Mas hoje vivi o sublime ao encontrar nas minhas arrumações um colar que me foi dado há algum tempo atrás e que foi muito útil, não posso revelar por que ( risos ). Não o uso mais e resolvi dá-lo. Pensei em uma amiga e o milagre aconteceu. A reação dela ao receber foi tremendamente linda e emocionou a nós duas. Fiquei tão feliz com a felicidade dela que quem ganhou o presente fui eu.
Sei que este colar será muito mais útil estando com ela do que no escuro da minha gaveta, com mais um fio transparente ligado a mim. 

Tenho passado por momentos difíceis, são os quarenta e dois anos, a obra, a mudança de casa, os desafios que a vida me tem proposto. A montanha que todos nós temos que atravessar. 

É, viver a vida é coisa muito humana e dividi-la com alguém é inacreditávelmente humano. 

A minha felicidade anterior era uma premonição do que aconteceria, um presente, essa sensação maravilhosa de doar.

Mas você tem que encontra-la sozinho, o prazer de doar, ninguém pode te dar. 

Vamos Falar de Casamento

Faltam menos de dois meses para o meu casamento e chegou a hora de dar as dicas tão esperadas.

Depois de dezoito anos casados, vamos casar!

Vamos celebrar as conquistas e os filhos, os amigos e o amor, principalmente o amor.

Também já não sou mais nenhuma noiva em busca de um príncipe encantado, até porque já encontrei o meu ( risos ) e as mulheres contemporâneas não agem mais como princesinhas, são guerreiras e sabem o que querem.

Pensando em tudo isto, estou preparando, com a ajuda da incrível Shirley Yáñez, um casamento que será mais uma celebração do que uma cerimônia. Será um miniwedding, sem padre ou padrão, vamos pensar em tudo que nos faz feliz, a mim e ao noivo, e a festa será assim.

Começando com a lista de convidados. Este foi o item que tive maior dificuldade em fazer porque dá vontade de convidar todo mundo!!!!!

Se você optar por um mini wedding deve fazer uma lista de no máximo cem convidados, pensando que normalmente 30% dos convidados não comparecem a festa. O lugar também é fundamental. Pense em um local acolhedor e que tenha um significado bonito para vocês.

Eu escolhi fazer em casa, porque ela representa uma nova fase da nossa vida e os convidados celebrarão conosco também o novo lar.

A parte ruim de uma lista de casamento seleta é que algumas pessoas podem ficar chateadas de não serem convidadas mas se você falar com jeitinho elas compreenderão. A parte boa é que a festa ficará mais íntima e vocês poderão atender a todos, falar com todos os convidados e se divertir com os amigos em uma linda confraternização. Sabe aquela história de “não consegui ver ninguém no meu casamento?!” No mini wedding isso não acontece.

Segundo item, o vestido. O meu será um Carol Nasser. Escolha um estilista que você admira e que possa fazer um vestido sob medida para você. Estilistas que têm atelier pequeno, normalmente podem dar maior atenção aos seus clientes e fazer algo mais exclusivo.

Eu prefiro vestidos mais delicados, nada de rendas duras e saias armadas. Aquela noiva que em muito se assemelha ao bolo, já saiu de moda e não combina com o conforto que buscamos hoje em dia.

As joias precisam ser pensadas e criadas a partir do vestido, as minhas serão Vanessa Clark.

Não deixe de pensar na roupa da família toda mas todos devem estar se sentindo bem, nada de impor uma cor ou estilo. Cora terá Assessoria de estilo de Karen Brusttolin ( @closeincloset ). Mauricio, Tom e Rafael, serão vestidos por eles mesmos ( risos ).

Um item muito importante é a cerimônia em si, mas não gosto deste nome porque me parece arrastado e cansativo, como aquele casamento que você fica horas em pé, e não se sente próxima dos noivos. Optei por fazer o que chamo de ritual, e nesse aspecto deixar o momento acontecer é muito importante.

Cada um se propôs a fazer o que gosta: escrevi um texto/poesia para ler, não faço a menor ideia do que Mauricio fará para mim ( risos ), Tom entregará a caixinha com as alianças que esconderemos em uma caixa maior, para ficar divertido para um bebê de 1 ano, e Cora está pensando em cantar. Perguntem se eu vou chorar. Já estou combinando com a mega Blaster amiga maquiadora Nat Rosa que fará a minha beauty para que a make seja a prova de lágrimas ( risos ).

Os padrinhos serão dois amigos que amamos muito, Volnei Canonica e Roger Mello, que escreverá um texto sobre nós.

buffet. Acho este item sempre negligenciado nas festas. Comete-se o equívoco de oferecer opções nem um pouco saudáveis, como se comida tivesse que ser pesada para ser saborosa.
Sou da opinião que “saiba o que como, saberás quem sou”. É importantíssimo apresentar aos convidados não só uma comida de qualidade, como também que traduza quem vocês são.

Confesso aqui que esse casamento será um presente, uma homenagem ao meu marido e espero que ele não leia este texto para não estragar a surpresa. Quando fiquei sabendo que poderia fazer uma apresentação de culinária vegetariana no meu casamento, quase chorei. E pasmem, é mais saborosa do que qualquer outra porque valoriza cada ingrediente. Mas o meu conselho é, ofereça aquilo que você gosta, seus convidados vão se sentir em casa. Vinhos e espumantes também não podem faltar nesse ritual!

Teremos um DJ com playlist escolhida por nós todos. Será uma lista eclética pois cada um tem seu estilo.

Ah, e não deixe de registrar esse momento único, em fotos e vídeos, em tudo que for possível. Ele ficará eternizado no coração das pessoas que estiverem presentes mas não custa registrar.

Durante esses dias que faltam, tentarei mantê-los atualizados.

Viva os noivos, todos eles, e que sejam felizes para sempre!