Sempre Preferi o Beijo dos Namorados a Roda Gigante.

Está chegando a hora da mudança. A obra chegará ao fim. A casa nova, suada, desejada, está por se realizar. Em alguns momentos, principalmente agora que está por findar a luta, parece mais difícil suportar. As dificuldades ficam dilatadas e apesar do tempo passar rápido, parece estar congelado e pesado.
A vida real é sempre feita de causa e efeito, de ação e consequência. Não se pode anular um lado da vida. Nem a sombra, nem a luz. Confesso que sou forte na minha fragilidade, sempre fui, sempre dependi da bondade dos outros, e sempre a colhi no quintal daqueles que me amam. Confesso que muitas vezes erro por não suportar o peso que acabo suportando. Até que o fim chega e o presente se torna mais leve depois da batalha. E assim a vida passa como uma montanha russa. Nunca gostei de parques de diversões, sempre preferi o beijo dos namorados na roda gigante do que a própria roda gigante em si.
Aceito minhas fragilidades, e suporto porque preciso suportar. Para ganhar o beijo é preciso na montanha russa estar.

Um comentário sobre “Sempre Preferi o Beijo dos Namorados a Roda Gigante.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s